Três Rios na luta para ter curso de Medicina

celso_mercadanteA falta de médicos no país é uma das preocupações do governo. Mesmo sendo um dos cursos mais concorridos nas universidades e umas das carreias mais desejas por grande parte dos jovens brasileiros, o número de profissionais ainda não é suficiente para o preenchimento das vagas e no atendimento as demandas da população. Por essa razão, o governo federal pretende apoiar as instituições de ensino interessadas em abrir cursos nas regiões a serem selecionadas, por meio de crédito do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Entre as possíveis regiões que podem receber uma nova faculdade de medicina está o município de Três Rios. Essa é uma luta antiga do Deputado Federal Celso Jacob que ganhou força com esse anúncio do MEC.

O Deputado Celso Jacob participou, recentemente, de uma Audiência Pública com o Ministro da Educação, Aloízio Mercadante, onde solicitou apoio para a abertura de um curso de medicina no município. “Três Rios é uma referencia no Ensino superior. Uma luta de muitos anos, com muito sacrifício. Um sonho que era impossível e se tornou realidade, e que poderá ser coroado agora com o Curso de Medicina” – afirmou Celso, que também foi uma dos responsáveis pela abertura do campus da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro no  município.

O Deputado Celso Jacob disse que o Ministro Mercadante está disposto a auxiliar a abertura da faculdade de medicina em Três Rios, desde que o município tenha a infraestrutura necessária. “Como deputado, estou fazendo o meu papel, pedindo o apoio do ministro nessa luta, mostrando ao Ministro que Três Rios tem condições para receber uma faculdade de medicina, mas precisamos unir a toda a sociedade trirriense para atendermos os requisitos do MEC. Podem ter a certeza que farei o possível para transformar esse sonho em realidade” – afirmou Celso.

 

Exigências do MEC

-número de leitos disponíveis por aluno maior ou igual a 5 (cinco);

-número de alunos por equipe de atenção básica maior ou igual a 3 (três);

-existência de leitos de urgência e emergência ou pronto-socorro;

-grau de comprometimento dos leitos do SUS para utilização acadêmica;

-existência de pelo menos 3 (três) programas de residência médica nas especialidades prioritárias;

-adesão pelo município ao Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica – PMAQ;

-existência de Centro de Atenção Psicossocial – CAPS;

-existência de vínculo com hospital de ensino; e

-existência de hospital com mais de 100 (cem) leitos exclusivos para o curso.

Relacionados